Sobre

ve.re.das: substantivo plural, palavra polissílaba, do latim vereda.

Há mais de 50 anos, em 1956, Guimarães Rosa criou uma narrativa não-linear para suas Veredas. Um cenário em que “o sertão é do tamanho do mundo”. Hoje, a mesma não-linearidade está presente em uma aldeia hiperlinkada, “onde o pensamento da gente se forma mais forte que o poder do lugar”. Estamos todos ligados, interrelacionados, intraconectados.

As veredas são uma forma de mostrar que existe um jeito mais simples para chegar a um determinado fim. Simbolizam o caminho, e não o ponto de chegada. O percurso, e não a solução final. Assim como a aplicação da tecnologia que pode conceber alternativas férteis, ambientes em que novas vidas podem se proliferar.

Com base nesses conceitos surgiu o Veredas, um coletivo disposto a criar possibilidades. Atalhos gerados na lógica das redes, sob quatro vértices que utilizam a tecnologia como fio condutor. Sociedade, educação, arte e meio ambiente aglutinados em propostas multimídias, em interfaces interativas. Acreditamos na experiência colaborativa para arquitetar e viabilizar projetos capazes de agregar a singularidade de cada indivíduo como diferencial do todo.

Procuramos núcleos e empreendedores sociais que caminhem no mesmo sentido para desenvolvermos ações integradas aptas a fomentar soluções plurais. Ou seja, atuar como uma incubadora que se apropria e recombina a tecnologia, tanto para equacionar problemas já estabelecidos, como para construir novas perspectivas a determinadas temáticas, situações ou localidades. Não trabalhamos com formatos, com metodologias, com normas fechadas. Mas com o inusitado, com propostas concebidas de acordo com a necessidade específica e a vocação das comunidades em que serão aplicadas.

Observamos como o mundo se compõe, como está estruturado e como poderá ser. Visualizamos um futuro escrito por aqueles que vivem o presente, e não pelos que ainda continuam presos no passado. Acreditamos que de nada servirá uma série de projetos estagnados em seus próprios conceitos, ou milhares de discursos em prol da inovação tecnológica, se não estiverem hiperarticulados e permanecerem travados às experiências sócio-colaborativas.

Leia nosso estatuto (em pdf) – Mande um email pra nós!

Thiago Carrapatoso – Diretor-Presidente e Diretora de Projetos Especiais em Artes
Maira Begalli – Vice Diretora-Presidente e Diretora de Projetos Especiais em Meio Ambiente
João Carlos Caribé – Diretor de Projetos Especiais em Sociedade
Mariel Zasso – Diretora de Projetos Especiais em Educação


Licença Creative Commons 2014 por v e r e d a s.
Assine o RSS Feed – Posts ou só os Comentários

Pauârd bai ImprensaDaPalavra
Desainhed bai Graph Paper Press e customizações por Thiago Carrapatoso